Notícias


Data: 28/01/2019

Mandioca - "o pão do Brasil desde 1500"



Originaria da região central doBrasil a mandioca faz parte da base alimentar ao longo de toda história doBrasil. Os índios que aqui viviam antes da chegada dos portugueses utilizavam amandioca como o pão e suas variadas formas de preparo.

Assim em 1500 quando osportugueses aportaram no Brasil descobriram não só um país, mas também amandioca a qual inicialmente deram uma denominação incorreta chamando de inhame(mandioca) que brota da terra. Mas que aprenderam a apreciar e incorporaram asua alimentação cotidiana.

... Manoel da Nóbrega, vindo como primeiro governador-geral Tomé de Souza, deixou registrada, em suas Cartas do Brasil, publicadas em 1549, aadesão dos estrangeiros ao sustento básico dos nativos: “o mantimento comum da terra éuma raiz de pau, que chamam mandioca, da qual fazem uma farinha de que comemostodos” (Nóbrega, 1931:98).

...a mandioca é mais sadia e proveitosa queo bom trigo, por ser de melhor digestão (...) os governadores Tomé de Souza, D.Duarte e Mem de Sá não comiam no Brasil o pão de trigo, por não se acharem bemcom ele, e assim o fazem muitas outras pessoas” (Sousa, 1971[1587]:179-180).

Os primeiros governantesperceberam no consumo da mandioca sua leveza e melhor digestão, passando aconsumi-la diariamente como pão no Brasil em detrimento ao pão feito com trigovindo da Europa.

Como observou Câmara Cascudo,“...a mandioca dominou o paladarportuguês na cotidianidade do uso tornado indispensável. Era a reserva, aprovisão, o recurso” (Cascudo, 2004:92).

As grandes distâncias percorridaspelas embarcações e o alto custo de transporte de alimentos estabeleceu uminício de comércio com os índios que utilizam a mandioca e a farinha como moedade troca por espelhos, facas e outras ferramentas, e os portugueses faziam suaprovisão em sacos de farinha para as longas viagens.

Corroborando a observação deNóbrega, Anchieta, em sua Informação (Ânua) datada de 1585, promoveu oalimento, elevando-o à categoria de pão. Com sua célebre frase “Opão da terra é de raízes de mandioca”, elegendo no Brasil, a mandiocacomo símbolo da alimentação.

Posteriormente a mandioca foi reconhecidapor Theodore Peckolt, em sua obra Históriada Humanidade e das Plantas Medicinais, publicada em 1847 (Peckolt apudAmaral, 1958, 1:219), como “o pão dostrópicos”, a mandioca tomou a si afunção de alimentar todas as raças e gentes que aportavam ao continenteamericano em busca do paraíso tropical, pleno de riquezas e exotismos, ou quepara cá vinham trazidos para os obrigatórios fazeres.

Essa raiz tuberosa, segundo LuísAmaral, autor da História da AgriculturaBrasileira, de 1939, está relacionada ao processo de colonização do Brasil.

“...sem essa coisa vil, que era a mandioca, aquicultivada à época do descobrimento, não teria sido possível a colonização doBrasil no século XVI, não só porque não teria sido viável transportarmantimentos da Europa como também porque, mesmo quando a distância fosse menor,a Europa padecia crise de subsistência e procurava mercados de compra.” (Amaral,1958:1:303). (apud Embrapa, pg. 85)

O transporte dos escravos tambémfoi viabilizado pela alimentação com farinha, cada escravo recebia ao entrar nonavio seu saco de farinha como suprimento para a viagem, e com caldo de peixeou carne era a alimentação disponível para as longas viagens.

O feijão tropeiro foi originadodas expedições dos bravos tropeiros que adentravam o Brasil para caçar e abrirfronteiras e na bagagem levavam farinha de mandioca e preparavam o feijãotropeiro com a farinha e a caça capturada ao longo da caminhada.

A primeira constituição do Brasilfoi chamada de Constituição da Mandioca no século XIX e recebeu este nomeporque só detentores de alqueires de mandioca tinham direito a voto e servotado, 150 alqueires – na paróquia, 250 alqueires – na província, 500alqueires – candidato a Deputado, 1000 alqueires – candidato a Senador (Aguiar,1982).

A mandioca teve importante papeleconômico no Brasil desde os primórdios de nossa história. Impactou acolonização do Brasil e distribuiu para o mundo essa cultura que alimenta oshomens e os animais e cada dia ganha mais importância devido a sua amplacapacidade de adaptação as mudanças climáticas sendo reconhecida pela FAO como acultura do século XXI e ao grande número de pessoas que alimenta ao redor domundo.

Atualmente a mandioca vemganhando espaço na culinária brasileira além do uso da farinha, como opção dealimentação saudável e de pratos gourmet valorizando cada vez mais a culturaalimentar brasileira e seu potencial cada vez maior de participação naculinária do brasileiro.

Acompanhe a série de artigos queiremos publicar sobre a mandioca evidenciando suas características, aspectoseconômicos e importância sociocultural para o Brasil.

Por Jeilly Vivianne

 

Jeilly Vivianne é EngenheiraAgrônoma, Pós Graduada em Gestão Ambiental em Sistemas Agrícolas, Mestre emConservação da Biodiversidade e Desenvolvimento Sustentável, CoordenadoraTécnica do Plano de Ação Territorial da Mandiocultura no Extremo Sul da Bahia e atua na implantação do Programa de Desenvolvimento Rural Territorial - PDRT, da Suzano, no Extremo Sul da Bahia.

 

Fonte:

Mandioca O pão do Brasil, Embrapa, 2005.

AGUIAR, P. Mandioca: pão do Brasil. Rio deJaneiro: Civilização Brasileira, 1982. (Coleção Retratos do Brasil, v. 166).